En passant

Ainda nas comemorações pelos 40 anos como jogadora de xadrez, 25 anos como instrutora na “Escolinha de Xadrez do Colégio Bom Jesus Santo Antônio” e 10 participações em olimpíadas, WIM Regina Ribeiro concedeu entrevista recentemente para o Chess Drum. Clique no link para conferir!

Mas não é a primeira vez que a nossa enxadrista vira manchete internacional, leiam a matéria abaixo:

936288_4915666806644_1258060127_n

WMI Regina Ribeiro foi notícia nas 27ª Olimpíadas Mundiais de Xadrez realizadas em Dubai (Emirados Árabes) em 1986! Nesta olimpíada, o Brasil terminou em 11º lugar (o segundo melhor resultado da equipe feminina em olimpíadas) e a equipe foi composta pelas WIM Maria Cristina Oliveira, Regina Ribeiro, Joara Chaves e Jussara Chaves. A grande campeã desta edição foi a extinta União Soviética, seguida pela Hungria, que ainda não contava com o fenômeno irmãs-Polgar.

Foto cedida pela WMI Regina Ribeiro (SC),  7 vezes campeã brasileira

*En passant  é uma seção de curiosidades sobre o xadrez feminino no  Brasil e no mundo

Anúncios

En passant – 28ª Olimpíadas de Xadrez da Tessalônica (1988)

Imagem

Regina, Joara, GM Oscar Panno, Jussara, Juliana e Palas

As 28ª Olimpíadas de Xadrez da Tessalônica, Grécia, foi realizada de 12 a 30 de novembro de 1988. Foi a primeira participação de Judit Polgar, na época apenas WMF, na qual levou 3 medalhas de ouro para a Hungria: melhor equipe, melhor performance (Elop 2694) e melhor segundo tabuleiro com 12,5/13. A equipe brasileira terminou o torneio na 20ª posição em 56 países, uma das melhores colocações do país no torneio.

*En passant  é uma seção de curiosidades sobre o xadrez feminino no  Brasil e no mundo

En passant: Equipe olímpica brasileira em Manila

Imagem

Equipe olímpica brasileira em Manila (1992): WMI Jussara Chaves, Palas Veloso, WMI Regina Ribeiro e WMI Joara Chaves

Nesta olimpíada, WIM Regina Ribeiro ganhou a medalha de bronze individual no 3º tabuleiro, e a equipe brasileira terminou na 35ª posição geral.  A Georgia foi a grande vencedora, seguida pela Ucrânia e China.

*En passant  é uma seção de curiosidades sobre o xadrez feminino no  Brasil e no mundo